MyLife#35 – 50 anos em 5!

 

OBS: Decidi que nenhum dos post da série MyLife# receberá comentários… frescura minha.

É difícil imaginar uma coisa como essa, mas é assim que me sinto nas últimas semanas… Sempre me imaginei como alguém que tinha pleno controle de seus sentimentos ou mesmo de minha vida, mas isso não acontece mais. Fui indagado da seguinte forma…

“Se você quer ser levado a sério… precisa amadurecer uns cinco anos…”

Bom essa questão me pegou, por alguns motivos que não convenham citar aqui e outros que sequer merecem ser citados, mas o que me mata é saber que não posso ser levado a sério por ninguém…

Ok! Eu tenho um poster da Homem-Aranha Nº 1 em casa (e gosto muito dela por sinal), faço quadrinho, vejo seriados americanos, me considero nerd (apesar de que hoje em dia tá difícil ser…).

Todos tem seus sonhos e projetos pessoais e acredita neles com todas as forças, outros apenas vivem, pois pra eles viver é apenas levar a vida como se um dia viesse atrás do outro e nada mais…

Uma das maiores dificuldades que tive quando comecei a lecionar na escola era que os alunos não me levavam a serio simplesmente por eu saber a diferença entre Luan Santana e Justin Bieber (não que eu me orgulhe disso…). Por um lado ganhei rapidamente a confiânça delas e fiz grandes amigos e espero fazer parte de uma etapa interesante da vida deles.

Porém seguindo as palavras do nosso amado JK (que não é a autora do Harry Potter) é necessário mudanças radicais que elevarão o patamar para a evolução de 50 anos em 5, ou seja, tô precisando repensar a minha vida…

Anúncios

MyLife#32 – Os números de 2010!

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Uau.

Continuar lendo

MyLife#31 – O que não fazemos por amor?

Um guia passo a passo de como dançar "The Time Warp"!

 

As vezes me pergunto o que fato somos capazes de fazer por amor… Se é que isso existe… Isso me lembra o que Foulcaut em História da Sexualidade fala sobre a inversão dos valores do matrimonio… Antes a mulher tinha um papel de liderança, pois gerava novos seres, por isso era considerado o sexo forte. Não sei ao certo quando isso aconteceu (imagino que foi no fim da Idade Bronze, com o advento das classes aristocráticas da o homem notou q na verdade sem ela de certa forma não haveria descendência (o que é biologicamente correto), o poder da mulher caiu e existe hoje um principio de castração que tenha mostrar a mulher como sexo frágil e…

 

Como eu cheguei nesse assunto mesmo?

 

Bom em todo caso estou meio perdido nesses dias estou pensando em algumas histórias até certo ponto bizarras, mas são uma boa. A história se chamara Stay On These Roads (sim! isso mesmo a música do A-ha), com dois personagens:  Noiva (uma garota com um vestido de noiva) e Bob (um cara bon vivan que tem apenas 3 meses de vida). Um dia, eles irão se encontrar devido a força do desejo (ou melhor da vontade). O fundamento dessa loucura toda nada mais é do que o filho deles q ainda nem nasceu, mas deseja existir e foi esse desejo se fazer real que possibilitou a união inusitada deles… O fundamento disso? A filosofia de Shoppenhauer.

A história é louca, mas vocês irão gostar…

MyLife#25.5 – E agora o que vou fazer lá?

Bom quem acompanhou o último post… ou não o_O? Sabe que estamos organizando uma atividade aqui Escola e então passei só pra mostrar o cartaz de divulgação da atividade sábado agora no Liceu. A idéia surgiu (esqueci de contar ontem) em uma conversa sem sentido com um professor aqui do Departamento de Filosofia, foi mais ou menos assim:

– Vai ter aula hoje, não é professor?

– Claro que sim! Você está fazendo o que?

– Pensando para o mini-curso sobre o amor em Platão…

– Essa conversa toda de amor me lembra quando era garoto tinha aqueles albúns com o titulo “Amar é…”.

– Ah! Eu lembro disso, não que tenha vivido na época e talz… =P

Tenho que agradecer o professor pela idéia, pena que não posso citar o nome dele a não ser meio que em off, então “Valeu Fernandão!”

MyLife#25 – Amar é…

Eu não sei exatamente o que seja, mas tenho certeza no que não é! Mas mesmo assim neste sábado eu vou apresentar o conceito filosófico do amor, para os garotos da escola que trabalho como bolsista. Você já devem estar carecas de saber que são, onde fica a escola e etc. Porque eu já contei muito aqui sobre eles no ano passado nos “My Life” (se bem que eu parei de fazê-los)…

*mudando o nome do post*

Pronto! Agora sim… voltando ao texto. O tema será o amor na filosofia e o mestre apresentado será Platão e a obra será o O Banquete ou sobre o amor. A apresentação em sí será de apenas uma hora, bem dívida por sinal. Mas mesmo assim posso passar a idéia pra vocês.

1 – Sensibilização: O que procuro… (Cada um escreverá um pouco sobre você no papel e cola em suas costas. Em seguida passeiam pela sala com uma música que retrate o amor… ou “Amar é…” do Roupa Nova ou “Assim sem você” da Adriana Calcanhoto… e por fim vou pedir que eles comentem sobre o que acharam mais interessante em cada um).

2 – Aplicação multimídia: There She Is! (Animação em 5 partes que dispensa apresentações…)

3 – Aplicação teórica: O Banquete de Platão (Apresentação em Slides sobre O Banquete de Platão)

4 – Intervalo (15 minutos tá de bom tamanho…)

Agora chegou o problema… O que fazer depois… Debate? Como tornar o debate interessante? Como chamar alunos de primeiro ano para a questão do amor?

Sem idéias do tipo Fiuk, Justin Biber, Restart e Cine OK!

Aguardo idéia o mais logo possível…