#MyLife38 – O que podemos aprender com as pessoas?

Juro que esse post começou com uma linda e filosófica exposição sobre como as pessoas deveriam prestar mais atenção uma nas outras e etc. Mas ontem a tarde eu mudei de idéia depois de 30 minutos no inferno com um bate-boca mais infundado da minha vida (e olha que eu acho idiota discutir sobre times de futebol, desenhos, comida de mãe e por aê vai…).

Tudo começou depois de um belo almoço com calabresa e um feijão esperto. Já estava agradavelmente feliz, pois tinha conseguido o aluguel da minha casa nova… PAUSA DRAMÁTICA!!!

É isso mesmo povo eu consegui finalmente alugar a minha casa! UÊBA! \o/ (mas eu só conto isso outro dia…)

Voltando…

Estamos viajando a mais de 80km/h (o que é coisa normal se tratando do Transporte Alternativo de Fortaleza, mais conhecido aqui como TOPIC), quando um distinto senhor que eu já tinha visto outras vezes, carregando o seu violão subiu e se apresentou como um devoto de Nossa Senhora “sabe-se lá do que” afinal são tantas… olha só quantas tem na Wikipédia no link.

Pouco tempo depois um rapaz , um ambulante, que não deve ter mais do que 25 anos, e sentou e até cantou junto algumas musiquinhas com o devoto do violão, mas aê o cara cansou de cantar as diversas musiquinhas cristas, quando ele teve a brilhante idéia de dizer que era católico…

Então a merda tava feita, foi uma chuva de argumentos biblicos pra lá e para cá (o pior é q eu conheço todos pois “desasgélico” por longos dois anos e sei como é ter apenas uma visão de mundo, que não passa de uma interpretação limitada e ambigua do que seria a Biblia…) a troca de acusações foi tão grande que até um METALEIRO que estava na Van pediu para que os dois pararem, por estava chegando a hora deles partirem na porrada. Porque um afirmava que estava “louvando” a deus e o outro afirmava que o primeiro estava adorando era Baal (logo ele que é um “demonhinho bem legal”?).

Um grande exemplo que eu vejo nisso é  uma frase que encontrei por acaso nos meus estudos que diz assim:

“Se os livros dessa biblioteca contem coisas contra o Alcorão (Bíblia/Torá e etc.), são maus e é preciso queimá-los; se só contém a doutrina do Alcorão (Bíblia/ Torá e etc), queima-los do mesmo modo, pois são supérfluos”

A aventura terminou com: Um Católico irritado, Três evangelicos cheios de razão, Vinte pessoas irritadas e Duas pessoas certas de que fizeram a escolha certa (Eu e o Metaleiro).

A grande questão é…

Será o Bono Vox está errado em pregar a coexistência?

Será que o mundo realmente precisa de Religiões?

Será realmente que elas podem levar a algo positivo?

Será que podemos aprender uns com os outros?

 

Termino deixando alguns posts com assuntos relacionados aqui:

– Se Deus existe… Ele é mal?

– Existem contradições na Bíblia?

– Genealogia de Jesus: De Adão a Jesus?

 

Anúncios