Nossos políticos heróis?

Dizem por ai, que o Brasil é um país democrático, mas um uma coisa a qual pouco refletimos e o caráter salvacionista que damos aos nosso representantes – afinal o termo político é um erro, ser político é se relacionar com os outros no nível de igualdade, pelo menos pros gregos era assim…

Na verdade eles são nomeados por um processo que se diz “democráticos”, mas não é. Sempre com a mesma campanha, MUDANÇA.

Então eu pergunto mudança de que? Administração? Acho que não. A maneira como se gerência o dinheiro público já é definido pela Câmara dos Vereadores e existe uma cota para isso, não pode ser algo assim da noite para o dia.

Esse segundo turno das eleições só serviu para demonstrar mais uma vez uma convicção minha, a de que o Brasil tem sim seus super-heróis, mas eles moram na sua “Torre da Justiça”, chamada Brasília e passam manhãs e mais manhãs discutindo assuntos no nível da abstração.

Seres que não conhecem a realidade e quando é necessário, ou seja, de quatro em quatro anos, vem com campanhas milionárias, montadas por grandes agências de marketing se promulgando como a solução para os nossos problemas.

Você pode até pensar isso é problema apenas no Brasil? Não de modo algum, estamos vendo a mesma SACANAGEM nos Estados Unidos, onde o jogo de marketing e mais forte e o caráter salvacionista de apenas um homem é maior ainda. Uma prova são as comparações entre o candidato Barack Obama com Superman, um dos maiores super-heróis estadunidense.

Como somos ridículos, como somos medíocres, o que nos resta se não é a decepção. Chame-me de pessimista, mais eu SOU apenas não reproduzo discurso.

Até breve, discípulos de [ATO..?].

Anúncios